Ciência, tecnologia e sociedade

A criação do HCTE

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Uma iniciativa inovadora no cenário acadêmico brasileiro, o Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia (HCTE) foi criado nos anos 2000 para um núcleo interdisciplinar, onde a produção do conhecimento se dava através da investigação das relações entre a Epistemologia, a História, Filosofia, Tecnologia e Ciências Sociais.

O programa nasceu da iniciativa de Pinguelli Rosa – então diretor da Coppe – Saul Fuks, Ildeu de Castro Moreira e outros professores do Instituto de Matemática e Química da UFRJ. Pinguelli deu aulas no HCTE de Teoria do Conhecimento Científico durante longo tempo. “Geralmente, metade da turma era formada por engenheiros; a outra metade, por pessoal das Ciências Sociais. Uma convivência muito divertida e rara na Academia”, conta o escritor e pesquisador Nelson Job, que teve Pinguelli como orientador no mestrado e no doutorado.

Acostumado a dar aula para alunos de Física e Engenharia, no HCTE Pinguelli pôde explorar mais a sua erudição peculiar, que combinava o saber técnico de Engenharia e Física ao conhecimento sobre Filosofia e Ciências Sociais. “Ele fazia uma relação entre a história da Filosofia e a história da Ciência, da Antiguidade ao contemporâneo, para alunos filósofos, físicos, biólogos, artistas, sempre respondendo com muita competência e, em dados momentos, com muita humildade”, conta Nelson Job, que foi monitor do professor.

A relação entre Job e Pinguelli levaria o físico a se aventurar. Apesar de cético, Pinguelli apoiou a proposta da tese de doutorado de Job, que propunha discutir Magia, Filosofia e Ciência. Outros alunos interessados em discutir Ciência e espiritualidade vieram, e Pinguelli formou um núcleo de estudos da Consciência, inspirado pelas pesquisas sobre uma consciência quântica do matemático e cosmólogo inglês Roger Penrose, ganhador do Prêmio Nobel de Física.

Em 2017, ao lado de Valeria Mandelli e Nelson Portugal, os dois coordenaram o Encontro Internacional Transdisciplinar da Consciência, na Casa da Ciência, com debates sobre meditação transcendental, a confluência entre ciência e tradições orientais e outros temas. Em 2018, foi lançado o livro A Transdisciplinaridade da Consciência, organizado pelos quatro pesquisadores.

Em 2012, Pinguelli foi homenageado na abertura do 5º Congresso de História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia (Scientiarum Historia V) pelas suas contribuições ao HCTE. Na cerimônia, o coordenador do Programa, Ricardo Kubrusly, definiu Pinguelli como “um homem que não tem medo e que trouxe o seu prestígio e a sua dedicação para o nosso programa”. Agradecido, Pinguelli destacou que o programa foi resultado de um “esforço conjunto”, mas comemorou: “Tenho orgulho de ter criado, na Coppe, as condições de semeadura do programa”.

O problema da inteligência nos conduz inevitavelmente ao problema da mente humana, que requer uma explicação científica. Longe de ser trivial esta explicação ainda não consensual nem sequer no âmbito da neurociência, envolvendo aspectos filosóficos polêmicos, como o dualismo cartesiano e o reducionismo “

Pinguelli

A criação do HCTE

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

Uma iniciativa inovadora no cenário acadêmico brasileiro, o Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia (HCTE) foi criado nos anos 2000 para um núcleo interdisciplinar, onde a produção do conhecimento se dava através da investigação das relações entre a Epistemologia, a História, Filosofia, Tecnologia e Ciências Sociais.

O programa nasceu da iniciativa de Pinguelli Rosa – então diretor da Coppe – Saul Fuks, Ildeu de Castro Moreira e outros professores do Instituto de Matemática e Química da UFRJ. Pinguelli deu aulas no HCTE de Teoria do Conhecimento Científico durante longo tempo. “Geralmente, metade da turma era formada por engenheiros; a outra metade, por pessoal das Ciências Sociais. Uma convivência muito divertida e rara na Academia”, conta o escritor e pesquisador Nelson Job, que teve Pinguelli como orientador no mestrado e no doutorado.

Acostumado a dar aula para alunos de Física e Engenharia, no HCTE Pinguelli pôde explorar mais a sua erudição peculiar, que combinava o saber técnico de Engenharia e Física ao conhecimento sobre Filosofia e Ciências Sociais. “Ele fazia uma relação entre a história da Filosofia e a história da Ciência, da Antiguidade ao contemporâneo, para alunos filósofos, físicos, biólogos, artistas, sempre respondendo com muita competência e, em dados momentos, com muita humildade”, conta Nelson Job, que foi monitor do professor.

A relação entre Job e Pinguelli levaria o físico a se aventurar. Apesar de cético, Pinguelli apoiou a proposta da tese de doutorado de Job, que propunha discutir Magia, Filosofia e Ciência. Outros alunos interessados em discutir Ciência e espiritualidade vieram, e Pinguelli formou um núcleo de estudos da Consciência, inspirado pelas pesquisas sobre uma consciência quântica do matemático e cosmólogo inglês Roger Penrose, ganhador do Prêmio Nobel de Física.

Em 2017, ao lado de Valeria Mandelli e Nelson Portugal, os dois coordenaram o Encontro Internacional Transdisciplinar da Consciência, na Casa da Ciência, com debates sobre meditação transcendental, a confluência entre ciência e tradições orientais e outros temas. Em 2018, foi lançado o livro A Transdisciplinaridade da Consciência, organizado pelos quatro pesquisadores.

Em 2012, Pinguelli foi homenageado na abertura do 5º Congresso de História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia (Scientiarum Historia V) pelas suas contribuições ao HCTE. Na cerimônia, o coordenador do Programa, Ricardo Kubrusly, definiu Pinguelli como “um homem que não tem medo e que trouxe o seu prestígio e a sua dedicação para o nosso programa”. Agradecido, Pinguelli destacou que o programa foi resultado de um “esforço conjunto”, mas comemorou: “Tenho orgulho de ter criado, na Coppe, as condições de semeadura do programa”.

O problema da inteligência nos conduz inevitavelmente ao problema da mente humana, que requer uma explicação científica. Longe de ser trivial esta explicação ainda não consensual nem sequer no âmbito da neurociência, envolvendo aspectos filosóficos polêmicos, como o dualismo cartesiano e o reducionismo “

Pinguelli

MATERIAL RELACIONADO

Palestra “Filosofia da Ciência e Transdisciplinaridade” (Lamae UFRJ)
Parte 2 | Parte 3 | Parte 4
Live em homenagem a Luiz Pinguelli Rosa, por Nelson Job (Transaberes, março 2022)