O material apresentado a seguir não esgota o conjunto do acervo que integram o patrimônio de Luiz Pinguelli Rosa ou das referências sobre ele. Além de divulgar materiais de e sobre Pinguelli, o objetivo dessa sessão é possibilitar a CONSTRUÇÃO DE UM ACERVO COLETIVO.

Caso você tenha algum material que não esteja relacionado no nosso acervo, por favor, clique no botão abaixo para enviar.
.

ENVIAR MATERIAL PARA O ACERVO

Livros de Pinguelli

Memórias: De Vargas a Lula | A resistência à ditadura e ao neoliberalismo

Livro autobiográfico de memórias de Pinguelli: “Conto uma história comum, sem grandes feitos pessoais, porém sem o arrependimento dos que, além de mudarem de lado, renegam suas origens de esquerda. (…) Escrevo na primeira pessoa. Pois conto o que vi e como entendi as coisas. Falo, portanto, de mim mesmo, como um espelho refletindo o que acontecia a minha volta.”

Editora:  Contraponto | Ano: 2022

A transdisciplinaridade da consciência

Este livro foi co-organizado por Pinguelli e possui um artigo seu sobre “Introdução ao problema da inteligência artificial e da mente: discussão de textos básicos e a polêmica sobre o modelo quântico de Penrose. O livro é resultado do Encontro Internacional Transdisciplinar da Consciência, fruto do grupo de pesquisa de Teorias da Consciência, que pertence ao curso de pós-graduação em História das Ciências, das Técnicas e Epistemologia na UFRJ, cujo orientador/supervisor era o professor Luiz Pinguelli Rosa.

Editora:  Edite | Ano: 2018

O uso de energia de biomassa no Brasil

Organização de Alberto Arruda Villela, Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas e Luiz Pinguelli Rosa | Quarto volume da Coleção Mudanças Globais, do Ivig-Coppe/UFRJ e da Editora Interciência. Trata do uso da biomassa para fins energéticos no contexto brasileiro.

Editora:  Interciência | Ano: 2015

Tecnociências e humanidades: Novos paradigmas, velhas questões | A ruptura do determinismo, incerteza e pós-modernismo – Volume 2

A Revolução Científica foi um evento ímpar na história da humanidade e da civilização ocidental. Iniciou no Ocidente o grande empreendimento de dar intelegibilidade à natureza como um sistema ordenado, a ser desvendado segundo uma unidade racional. Compreender esse evento, o empreendimento que ele iniciou e seus desdobramentos é o tema central de Tecnociências e humanidades, trilogia de Luíz Pinguelli Rosa, que já tem dois de seus volumes lançados.

Editora:  Paz e Terra | Ano: 2006

Tecnociências e humanidades: Novos paradigmas, velhas questões | O determinismo newtoniano na visão de mundo moderno  Volume 1

Tecnociências e Humanidades: novos paradigmas, velhas questões, de autoria do professor da COPPE, Luiz Pinguelli Rosa, aborda a inter-relação entre “duas culturas” que marcam o nosso tempo na Civilização Ocidental: as ciências da natureza e as humanidades. Embora tenha pautado sua vida acadêmica sobre os pilares de uma das ciências da natureza, a física, Pinguelli desaponta àqueles que apostam na eterna disputa entre essas duas vertentes da ciência. O livro, editado pela Paz e Terra, foi selecionado pelo júri da Câmara Brasileira do Livro como finalista ao Prêmio Jabuti na categoria Humanidades.

Editora:  Paz e Terra | Ano: 2005

Participação privada na expansão do setor elétrico ou venda de empresas públicas

Introduz a política de energia em uma perspectiva histórica, descrevendo o processo de privatização a começar do quadro internacional. Mostra o debate das propostas de parcerias privadas com empresas públicas e a crítica da venda das empresas elétricas, o que constitui o objetivo principal deste trabalho. Também reúne elementos da teoria econômica, usados como suporte das decisões de política energética, e dados técnico do setor elétrico brasileiro.

Editora:  Coppe/UFRJ | Ano: 2003

A reconstrução do setor elétrico brasileiro

Autores: Ildo Sauer, Luiz Pinguelli Rosa, Roberto Pereira D`Araújo, Joaquim Francisco de Carvalho, Leslie Afrânio Terry, Luiz Tadêo Siqueira Prado e João Eduardo Gonçalves Lopes (Pinguelli e Roberto D`Araújo coordenaram a seção “A nova estruturação do Setor Elétrico Brasileiro”). | A grave situação por que passou o setor elétrico brasileiro – evidenciada pela imposição do racionamento de energia em 2001, resultou da reestruturação posta em prática a partir de 1995.

Editoras:  Paz e Terra e UFMS | Ano: 2003

O apagão: Por que veio? Como sair dele?

Artigos de Pinguelli sobre energia, publicados nos grandes jornais do país, entre outubro de 1992 e abril de 2001. Há dez anos Pinguelli alertava para a necessidade de investimentos em geração de energia, tendo em vista a previsão da média anual de aumento da demanda no Brasil. Em artigos nos últimos cinco anos, Pinguelli, de forma clara e lúcida, criticou o modelo adotado pelo Governo para a privatização do setor elétrico, advertindo para o fato de que a simples venda de empresas públicas não implicaria, necessariamente, em investimentos para aumentar a oferta de energia.

Editora:  Revan | Ano: 2001

Um país em leilão, o dossiê das privatizações – Vol. I: A privatização da Vale do Rio Doce

Luiz Pinguelli Rosa-coordenador, Fernando Peregrino-coordenador executivo, Sebastião Soares-relator, Axel de Ferran-consultor científico especial, Marcelo Cerqueira-advogado |Primeiro de uma série sobre os relatórios elaborados pro grupos de assessoramentos técnicos formados na Coppe/UFRJ, em atendimento a solicitações institucionais de estudos técnicos sobre casos específicos de privatizações ou delas recorrentes. O primeiro deles, sobre a privatização da Vale do Rio Doce, foi solicitado pela Comissão Externa da Câmara dos Deputados, pluripartidária. O objetivo primeiro foi entrar na sala do BNDES, onde estavam as informações para os candidatos à compra da empresa. Os resultados revelaram-se graves, como mostrou esse volume.

Editora:  Coppe/UFRJ | Ano: 1999

Tormentas cariocas

Coordenação de Luiz Pinguelli Rosa e Willy Alvarenga Lacerda |Reúne diagnósticos e recomendações feitas por cerca de 40 especialistas, que participaram do Seminário Prevenção e Controle dos Efeitos dos Temporais no Rio de Janeiro”, promovido pela Coppe/UFRJ e pelo COEP, e trabalharam voluntariamente em busca de soluções para evitar tragédias, como a ocorrida em fevereiro de 1996, após as enxurradas que atingiram o Rio de Janeiro, deixando 6.500 desabrigados. Pode ser baixado gratuitamente (em PDF) no site da Coppe, neste link.

Editora:  Coppe/UFRJ | Ano: 1996

O Estado do Rio de Janeiro e a privatização do setor elétrico

O texto é fruto dos trabalhos realizados no âmbito do Grise (grupo sobre a reforma institucional do Setor Elétrico), coordenado por Luiz Pinguelli Rosa e Maurício Tolmasquim e composto por Carlos Augusto Hoffman, Andre Spitz, José Cesário Cecchi, José Drumond Saraiva e Ildo Sauer. O grupo foi instituído na Coppe e contou com o apoio do Energe e do Programa de Planejamento Energético da Coppe/UFRJ.

Editora:  Energe | Ano: 1996

A política nuclear brasileira

Autores: Luiz Pinguelli Rosa, Fernando de Souza Barros e Suzana Ribeiro Barreiros | No Brasil, durante longos anos, a energia nuclear foi tratada como um assunto de “segurança nacional”. Gastos públicos da ordem de bilhões de dólares, acordos, programas a longo prazo foram realizados sem a devida consulta e divulgação de informações à população. Apesar dos avanços na democratização do país, o setor nuclear mantém-se como um feudo autoritário dentro da sociedade, com uma boa parte do programa nuclear brasileiro gerenciado pelos militares.

Editora:  Greenpeace | Ano: 1991